A importância da utilização das mídias articuladas a projeto pedagógico



Atualmente convivemos em sala de aula com crianças da geração Y, produtores de conteúdos online, e adolescentes da geração Z, que conseguem incorporar facilmente as tecnologias. Eles sabem digitar e enviar mensagens pelo celular e tabletes mais rápido que conseguimos ler o que foi escrito. Também sabem acessar várias redes sociais, enviar e receber arquivos por elas enquanto ainda usamos e-mail como forma de nos comunicarmos. Porém quando precisam realizar um trabalho escolar se deparam com a necessidade de escrever um trabalho formal com regras básicas de formatação que não as dominam.


Por estes motivos apresentados considero como evidência destes novos aspectos o fato de que nossos alunos, todos os dias, convivem dentro e fora da escola com informações atualizadas sobre tecnologias consideradas básicas por eles, como app’s para celulares e tablet com sistema androide; jogos colaborativos, vídeos e teclas de atalho a serem acessados e utilizados com o computador; e novas versões de consoles, acessórios e jogos. Nem sempre essas descobertas são vistas com bons olhos pelo corpo docente da escola, mas para eles é o máximo estarem mais informados que seus professores.


Para uma melhor utilização e abordagem do foco de interesse dos alunos junto as necessidades de uma educação formal transmitida pela escola, é preciso que, nós professores, dentro de nossas áreas de atuação procuremos TIC’s e mídias que possam nos auxiliar a apresentar de forma mais atrativa e interessante os conteúdos escolares. Perrenoud (2000, 14), nos traz a proposta de desenvolvermos novas competências que poderão acentuar potencialidades para desempenharmos nosso papel de professor perante as tecnologias atuais.


O autor, em seu estudo, apresenta 10 grandes famílias de competências, que são: 
1) organizar e dirigir situações de aprendizagem; 
2) administrar a progressão das aprendizagens; 
3) conceber e fazer evoluir os dispositivos de diferenciação; 
4) envolver os alunos em suas aprendizagens e em seu trabalho; 
5) trabalhar em equipe; 
6) participar da administração escolar; 
7) informar e envolver os pais; 
8) utilizar novas tecnologias; 
9) enfrentar os deveres e os dilemas éticos da profissão; 
10) administrar a própria formação.

A proposta de se trabalhar com projetos, como Moran e Almeida (2005) propõem, tornasse relevante tendo em vista a necessidade de termos que introduzir novas tecnologias e mídias em nossas aulas. Dessa forma poderemos propor a elaboração dos trabalhos com o apoio de uma ferramenta que dará subsídios para que o trabalho seja construído e apresentado de forma mais criativa e elaborada.

Logo trarei mais materiais.
Deixe dicas de assuntos que tenha interesse.

Comentários